terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Bruxismo


O que é o Bruxismo?


 O bruxismo é definido como o contato estático ou dinâmico da oclusão dos dentes em momentos ,outros, que não aqueles que ocorrem durante as funções normais da mastigação ou deglutição. É um fenômeno que ocorre preferencialmente durante o sono, de forma inconsciente, manifestando-se sob a forma de “apertamento” ou “ranger” de dentes. está sempre associado a um estado emocional alterado do paciente, ou seja, o stress. Este hábito parafuncional constitui um dos mais difíceis desafios para a odontologia restauradora e, em alguns casos, produz reflexos no periodonto, nos músculos mastigatórios, na articulação temporomandibular. Pode também causar dor de cabeça, efeitos comportamentais e psicológicos, sendo muito difícil sua resolução, dependendo da gravidade do desgaste produzido. Seus sinais e sintomas devem ser diagnosticados em fase precoce uma vez que a maioria dos danos provocados é irreversível. A etiologia não é bem entendida sendo uma desordem complexa e multifatorial e, com freqüência, difícil de ser identificada.

Tratamento.


O tratamento deve ser realizado de forma multidisciplinar, com a participação da Odontologia, Psicologia, Fisioterapia e Fonoaudiologia, abrangendo aspectos dentários, médicos e psicológicos do paciente. Por ser o bruxismo uma parafunção multifatorial não há uma forma de tratamento capaz de eliminá-lo permanentemente. O plano de tratamento deve atender aos seguintes objetivos: redução da tensão física e psicológica, tratamento dos sinais e sintomas, minimização de interferências oclusais e rompimento do padrão neuromuscular habitual.

O ponto de partida do tratamento é a tentativa de diminuição do stress psicológico do paciente, por meio de exercícios de relaxamento, massagem e fisioterapia. Esse tratamento diminui os sintomas e não a causa, pois, o hábito pode retornar sempre que o paciente tiver diminuído a sua tolerância para com a desarmonia oclusal .O tratamento específico para a dor muscular é acompanhado de modalidades que interrompem o mecanismo do ciclo da dor, como terapia do ponto de desencadeamento miofascial (spray de vapor frio), bloqueio anestésico, associado a modalidades fisioterápicas: exercícios para restaurar a função (isotônicos, isométricos e de coordenação), massagem e calor profundo .A terapia oclusal pode envolver o ajuste oclusal.Embora, a condição oclusal exerça pequena influência sobre o processo, o ajuste oclusal, método terapêutico irreversível, é indicado para minimizar danos gerados pelo apertamento ou ranger de dentes e não para o tratamento do bruxismo. Deve ser usado somente quando o desgaste causado pelo bruxismo não tenha alterado a dimensão vertical. O tratamento restaurador é realizado quando há uma oclusão harmoniosa não podendo ser alcançada apenas por ajuste oclusal, devido à severidade do desgaste que chegou a causar perda de estrutura dental .
O controle do comprometimento muscular e oclusal pode ser atingido com o uso de placas interoclusais, também denominadas placas oclusais ou placa mio-relaxante total. Esta placa deve ser feita com um material rígido, com superfície oclusal plana, ajustado em relação cêntrica, com características de uma oclusão mecanicamente normal. Ela recobre todos os dentes, alterando o relacionamento oclusal e redistribui forças, prevenindo desgastes e mobilidade dental, reduzindo a parafunção noturna e alterando o padrão neuromuscular e o relacionamento articular. O uso de medicamentos (relaxantes musculares) para diminuir a tensão do paciente e conseqüentemente o bruxismo é um tratamento de eficácia temporária. Uma vez suspensa a medicação, o hábito parafuncional se reinstalará, além de apresentar o risco de dependência química.

Fonte: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/biologica/article/view/435/436

4 comentários:

  1. O texto é realmente muito bom,foi retirado do artigo - Bruxismo uma revisão da literatura.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da matéria, estou indicando para meus amigos também!

    ResponderExcluir

Comente